O décimo segundo dia da viagem: 2 de Novembro

Chegamos à Estação Ferroviária de Oulu hoje, às 0h20. Felizmente era a parada final do trem, porque tínhamos tantas malas e pacotes que teria sido difícil tirar tudo do trem nos poucos minutos que ele normalmente pára numa estação intermediária. Mesmo sendo a estação final do percurso, as portas do trem se trancaram antes de tirarmos todas as malas — na verdade, antes de todo mundo sair. Precisamos encontrar a chefe da estação para reabrir o trem…

Na estação, tudo deserto. Arrastamos as malas para a frente da estação, onde havia um Ponto de Taxi (escrito Taksi). Havia umas três ou quatro pessoas já esperando. Felizmente os taxis foram chegando rápido e, quando era nossa vez, chegou uma van, que acomodou toda nossa bagagem (embora de forma precária). O hotel (Holiday Inn) não era longe — nada é longe aqui, porque a cidade é pequena. O hotel é bastante bom — Internet com cabo no quarto.

São 7h45 da manhã e acabo de voltar do restaurante, onde tomei um café delicioso. O dia continua escuríssimo, as luzes da rua estão acesas e os carros trafegam com os faróis ligados em luz baixa (nenhum apenas com a lanterna, como é prática nefasta no Brasil).

A reunião de hoje se realizará numa escola aqui perto, chamada Myllytulli School. O endereço é rua Kirkkpkatu 1. Iremos andando.

Como se pode ver de algumas palavras que transcrevi, o finlandês usa e abusa de dobrar letrar — especial o "k". As vogais "a" e "o" freqüentemente recebem trema. Consta que o sobrenome do campeão da Formula 1 é Räikkönen — com dois "ks" e trema no "a" e no "o".

O fim da viagem começa a ficar visível. Saio daqui de Oulu no dia 4 (domingo), depois de amanhã, durmo no domingo em Helsinki e, na segunda, dia 5, pego o avião da Lufthansa para Frankfurt, de lá o avião da United para Washington, que chega no mesmo dia, e, finalmente, um outro avião da United para São Paulo — onde chego no dia 6, terça-feira.

Já estou com saudade da família e de casa — neste caso, principalmente do sítio.

Hoje é dia de Finados.

Estou aqui na Myllytulli School. É o fim do intervalo do almoço. Estamos nos reunindo numa sala de aula, almoçamos na cafeteria da escola… A sala e o refeitório deixam a desejar como local de reunião e alimentação, mas é interessante viver um pouco dentro de uma escola, com os alunos loirinhos passando em frente para ver quem são os visitantes, alguns com aparência meio exótica, que aterrisaram na escola hoje…

Os prédios são antigos — a escola tem mais de cem anos, e alguns dos prédios devem ser tão velhos quanto a escola.

À tarde teremos mais palestras e mais discussões em grupo. As doze escolas começam agora a se apresentar e a apresentar seu projeto pedagógico. A Lumiar está no primeiro grupo de três escolas a se apresentar: será a última desse grupo. Vamos mostrar um vídeo que foi feito, e que está muito bom, e, depois, responder perguntas.

À noite há um programa especial, que inclui, mas os que gostam mais de aventura, uma visita a uma sauna — que é uma instituição nacional aqui na Finlândia. Eu prefiro tomar um vinho em algum lugar…

A cidadezinha é bonitinha, pequena, numa baía. Como que para nos cumprimentar, o sol resolveu aparecer, fazendo desaparecer a escuridão e, até mesmo, o frio. (A escuridão desapareceu de fato; o frio só diminuiu).

Estou com sono, pois acabei indo dormir às 2h30 hoje de madrugada.

Bom, a parte da tarde do evento está para começar. Vou parando, para voltar depois.

São 23h15. Acabo de chegar do jantar que foi realizado num lugar antiqüíssimo, às margens do rio Oulu. A comida foi muito boa, a bebida melhor ainda (vinho branco, vinho tinto, vinho de sobremesa, vodka Finlandia gelada…), e, depois do jantar, foto do grupo, sauna (pra quem quis), passeio de charrete (no escuro), etc. Tudo muito bem organizado.

Agora estou com sono, depois de tanta bebida. Escrevo mais amanhã, dando detalhes sobre o local.

Em Oulu, 2 de Novembro de 2007

Advertisements
Posted in Travel | Leave a comment

O décimo-primeiro dia da viagem: 1 de Novembro

Escrevo durante uma palestra de uma executiva da Nokia (Riitta Vanska). Além de ela não ter "o dom da palavra", o conteúdo que ela está apresentando é muito chato.

Antes dela falou Anoop Gupta, Vice-Presidente Corporativo da Microsoft para Produtos e Soluções Educacionais. O tema foi "A Vision of Innovation in Education and Beyond". A conversa de ontem foi melhor — embora a fala de hoje tenha sido acompanhada por lindos slides.

Abrindo o dia houve uma fala muito interessante de Stan Slap, Presidente de uma empresa chamada Slapworld — vide http://slapworld.com. O site é meio doido, e ele de vez em quando também parece um pouco exagerado, mas o conteúdo de sua fala foi interessante.

Falando sobre a diferença entre o "manager" e o "leader", ele disse algumas coisas interessantes. Uma coisa que ficou na minha cabeça foi a seguinte. O foco do líder está nos seus valores. São eles que lhe fornecem uma visão e, através dela, o incitam a agir. Ele citou o exemplo de Martin Luther King, com seus valores de liberdade e igualdade. "I have a dream…" O bem que King fez para os negros americanos, disse Slap, não foi feito porque ele era altruísta e queria fazer o bem para os seus semelhantes. O líder, explicou ele, é a pessoa mais egoísta que existe. Ele vive e age em função de seus valores, de sua visão. O problema é que, o mais das vezes, os valores são tão amplos, a visão tão abrangente, que é impossível realizá-los sozinhos: é preciso engajar os outros na própria visão. É por isso que líderes em geral são bons em comunicação e persuasão: eles precisam comunicar sua visão e persuadir os outros a aderir a ela.

Se o líder conseguisse realizar implementar seus valores e realizar sua visão sozinho, disse Slap, ele teria feito isso e teria dito para o resto das pessoas: "I have a dream. And you are not in it…! 🙂

Essa visão de liderança é o oposto da visão de liderança como serviço, que eu discuti no meu blog Liberal Space (http://ec.spaces.live.com) no artigo "Liderança (Ou: O Monge e o Filósofo)", em http://ec.spaces.live.com/blog/cns!511A711AD3EE09AA!1546.entry.

Está chegando a hora do café aqui… De tardezinha vamos para Oulu, de trem. O trem sai por volta das 18h e chega um pouco da meia-noite. Leva seis horas — apesar de, em linha reta, o trajeto ser 350 km, mais ou menos. Devemos jantar no trem. O hotel aqui nos deixou sair às 15h do quarto. Na hora do almoço vou lá arrumar minhas coisas.

Não sei se vai dar tempo de voltar a escrever hoje. Caso contrário, amanhã relato o resto do dia.

Saudações Tricolores a todos.

Estou de volta, às 18h53, no trem que vai de Helsinki a Oulu. Estamos no vagão de primeira classe a Ana Teresa Ralston, a Maria Cláudia "Cacau" Lopes da Silva, a Daniella Dupont, o Gustavo Morcelli e eu. Só nós cinco vamos para Oulu. O restante ficou em Helsinki, devendo alguns voltar para Paris amanhã, ficando lá alguns dias antes de voltar ao Brasil.

Hoje à tarde houve uma apresentação sobre a Lumiar feita pela Cacau. Fez a apresentação muito bem, apesar do nervosismo que vinha sentindo desde que soube que teria de fazer a apresentação. Ao final apresentou um vídeo de 4 minutos mais ou menos em que o Ricardo Semler fala sobre a Lumiar. Foi um sucesso. Várias perguntas — que não houve no caso das apresentações da Irlanda e do Qatar, que precederam a da Lumiar.

O evento final do evento foi uma palestra do Jean-François Rischard, que escreveu o livro High Noon. Quando estive em Tóquio, em Setembro, o Bruce Dixon, que vinha assessorando a Microsoft na montagem do programa, me informou que estava tentando conseguir que o Rischard viesse falar no evento. A descrição que o Bruce fez do livro me fez interessado em comprá-lo. Lá de Tóquio mesmo entre no site do Barnes & Noble e comprei o livro. Quando cheguei ao Brasil, o livro já estava lá. Achei-o muito interessante — embora, como sempre, em casos assim, o diagnóstico é mais interessante do que as soluções propostas.

Jean-François Rischard trabalhou no Banco Mundial durante vários anos e escreveu esse livro, que discute os principais vinte problemas globais do mundo de hoje. Problema global, no caso, é um problema que afeta todo o planeta e que, por definição, não é solucionável dentro dos limites de um ou outro estado nacional, ou mesmo de um bom número deles. Sua solução estaria a exigir estruturas globais e metodologias transnacionais que hoje ainda não possuímos. A ONU e outros mecanismos multilaterais que hoje existem não são suficientes para a solução.

Os vinte problemas podem se classificar em problemas ambientais, que dizem respeito aos aspectos físicos do planeta; problemas humanos, que dizem respeito aos aspectos sociais e culturais; e problemas metodológicos, que dizem respeito aos princípios que permitem a solução de problemas transnacionais.

Entre os problemas ambientais estão o aquecimento global, o desflorestamento, o esgotamento da reserva de peixes, etc. Entre os problemas sócio-culturais os principais são a pobreza, a propriedade industrial, etc. E, por fim, entre os problemas metodológicos está a insuficência, para a solução dos problemas globais apontados, dos mecanismos nacionais e transnacionais atualmente disponíveis para a solução de problemas.

A fala foi interessante — o conteúdo do que foi apresentado, não a forma. O Rischard fala num tom meio desanimado, blasé, como quem não está muito envolvido nas questões que está descrevendo. Quando voltar vou reler o livro.

Uma coisa que ele abordou e que não está no livro foi o papel da educação. No livro ele enfatiza a necessidade de novas metodologias de solução de problemas que nos permitam enfrentam os problemas globais. Na palestra, tendo em vista o fato de que a platéia era de educadores, ele enfatizou o fato de que, além das metodologias, seria necessária uma nova mentalidade (um novo "mind set") que fosse focado na globalidade — e que só a educação poderia ajudar a criar. Nesse novo "mind set" as pessoas se identificariam primeiro com as questões do plano global, depois com as questões do plano nacional e, só por fim, com as questões do plano local. Acho isso meio utópico, porque ninguém nasce prioritariamente "no planeta": nasce num lugar específico, que fica numa cidade ou numa região, que fica numa província ou num estado, que fica num país… O planeta é uma abstração a que se pode chegar depois de um processo complicado de transcendência dos condicionamentos locais e regionais. Não existe, por exemplo, uma língua planetária, global: existe a língua que é falada ali no cantinho em que a gente nasceu, e é ela que se torna a nossa língua materna. Não existe (ainda, embora é possível que se desenvolva) uma cultura planetária, global: existe a cultura que caracteriza o ambiente específico em que se nasce. Dentro dessa cultura está a questão da religião. Não existe uma religião planetária, global, e muito menos um ateísmo ou secularismo global (embora este esteja ganhando espaço nos últimos tempos, apesar dos diversos fundamentalismos). A pessoa em geral adota a religião dos pais ou da família… E assim vai. Imaginar que a educação possa inverter ou reverter esse processo me parece uma utopia — a menos que a educação seja dotada de mecanismos autoritários, quiça totalitários, que tornem possível obliterar, em favor de valores planetários, globais, os valores locais e regionais.

Enfim… As questões, como disse, são interessantes. As soluções propostas, nem tanto.

A Cacau está lendo A Cidade do Sol, do mesmo autor de O Caçador de Pipas. A Daniella está dormindo (deitada nos dois assentos de um banco). A Ana foi ao banheiro. E o Gustavo está, como eu, mexendo no computador dele. Há tomadas aqui no trem. Tenho um adaptador europeu, que carrego sempre comigo, e um universal, que comprei na Austrália no ano passado. Tomamos uma cerveja (de 500 ml) cada um e devoramos um canudinho de batata frita Pringles. Está escuro lá fora. O trem saiu pontualmente às 18h33 e chegará a Oulu às 0h20 de amanhã, dia 2 de Novembro, dia de Finados.

Porque viemos de trem, estamos perdendo um cocktail de recepção que o prefeito de Oulu iria oferecer aos participantes da reunião hoje à noite — às 20h, daqui a uma meia hora (são 19h30). O trem tem uma televisãozinha que apresenta informações, o horário e a velocidade do trem. Estamos a 194 km por hora. Não é o TGV francês, que anda a 300 hm por hora, mas também não é nenhum trem de subúrbio brasileiro. Na verdade, é um trem muitíssimo confortável. Chama-se Pendolino.

A menos que me lembre de algo mais a dizer, só volto a escrever a manhã, já de Oulu.

Estou de volta. O vagão em que estamos tem um cantinho em que há café, leite, bolachas, etc. Uma delícia.

Estou indo de novo.

Por fim, fui até o vagão restaurante, comprei um sanduíche de frango e uma garrafinha de vinho, porque não havíamos jantado.

Agora é final.

Em Helsinki, 1 de Novembro de 2007

Posted in Travel | Leave a comment

SPFC, Pentacampeão Brasileiro: Dentre os grandes, és o primeiro!

SPFC 2007

Com a vitória de hoje por 3 x 0 sobre o América de Natal, o SPFC se consagra pela quinta vez (e pela segunda vez consecutiva) Campeão Brasileiro, sem precisar dos resultados das últimas quatro rodadas do campeonato. Como diria aquela múmia corintiana que preside o Brasil, nunca antes neste país foi tão fácil ganhar um campeonato nacional. A festa será ainda maior no final de Dezembro se (quando?) o timeco do Parque São Jorge pelo que torce o presidente for rebaixado para a segunda divisão. 

A quatro rodadas do final, o SPFC tem nada menos do que quinze pontos de vantagem sobre o segundo colocado — o só um pouco menos timeco da Vila Belmiro. Quinze! O time chega a 73 pontos no total (tendo a chance de, no final, passar dos 80) e tem um saldo de gols de nada menos do que 38 — mais de 20 gols superior do que o segundo melhor saldo de gols do campeonato. Só em termos de número de vitórias, o SPFC tem no momento quatro a mais do que o segundo colocado.

Consagração total.

Além de ser o primeiro pentacampeão brasileiro que a CBF reconhece, o São Paulo é campeão pela segunda vez seguida. Em 2006 foi campeão com duas rodadas de antecedência. Este ano, com quatro.

O que mais se pode pedir de um time de futebol?

Meus parabéns, aqui da distante Helsinki, para Muricy e seus comandados e, naturalmente, para Rogério Ceni e seus capitaneados, e para todos os que participaram nesta brilhante campanha.

Rogério Ceni é, em termos de conjunto da obra, o melhor goleiro que este país — quiçá o mundo — já teve. É grande defensor e incomparável atacante nessa posição.

Quanto a Muricy, o fato de o Morumbi estar gritando o nome dele, como já fez com o nome do grande Telê Santana, do qual Muricy foi assistente, prova a sua consagração.

Setenta mil pagantes viram o jogo no Morumbi. Como queria ter estado lá!

Eis a notícia da Folha (http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas/2007/10/31/ult59u135431.jhtm):

31/10/2007 – 23h46

Em jogo de festa, São Paulo confirma penta e soberania nacional

Alexandre Sinato e Marcius Azevedo
Em São Paulo
O São Paulo, enfim, pode soltar o grito: é pentacampeão brasileiro. Em uma noite de festa, armada para uma digna final de campeonato, quase 70 mil pessoas pintaram o estádio do Morumbi com as três cores do clube e viram a vitória por 3 a 0 sobre o América-RN, na quente noite desta quarta-feira.

PRINCIPAIS LANCES DO JOGO

Flávio Florido/UOL Esporte

Hernanes comemora o primeiro gol na vitória sobre o América-RN
PRIMEIRO TEMPO

2min – Leandro cruza bola da direita. O goleiro Sérvulo falha na saída de gol, mas Dagoberto, livre de marcação, chuta por cima do gol.

9min – Hernanes faz ótima jogada pelo lado direito, entra na área e chuta para fora, com perigo.

13min – Após cobrança de escanteio de Jorge Wagner, o goleiro Sérvulo falha, mas Breno, livre de marcação, cabeceia para fora.

15min – Aloísio briga com os zagueiros do América-RN e toca para Dagoberto, que, na pequena área, chuta para fora.

28min – Jorge Wagner bate escanteio e Richarlyson cabeceia para o gol. Ney Santos salva em cima da linha.

38min – GOOOLL do SÃO PAULO!!!!!! Hernanes recebe na entrada da área e chuta forte. A bola ainda toca no chão e tira o goleiro Sérvulo da jogada.

44min –O goleiro Rogério Ceni cobra falta e quase marca o segundo do São Paulo. A bola explode na trave.

SEGUNDO TEMPO

1min – Jorge Wagner recebe de Aloísio livre dentro da área, mas chuta em cima do goleiro Sérvulo.

4min – GOOLLL do SÃO PAULO!!!! Jorge Wagner cobra escanteio da direita e Miranda sobe para cabecear, sem chance para o goleiro Sérvulo.

26min – Rogério Ceni cobra falta da entrada da área pelo lado direito e Sérvulo faz ótima defesa, evitando o gol.

31min – GOOOLLL do SÃO PAULO!!! Souza cruza bola da direita e Dagoberto, livre de marcação, cabeceia para fazer o terceiro.

Um empate com o adversário já rebaixado bastava, mas seria pouco para a expectativa e a empolgação dos torcedores que lotaram o estádio. E contagiado por esse clima da arquibancada, o time de Muricy Ramalho não decepcionou. Triunfou, atingiu pontuação (73) que não pode mais ser igualada pelo Santos e ainda quebrou escritas.

A primeira: o São Paulo se tornou o primeiro pentacampeão brasileiro "sem asterisco". Explica-se: o Flamengo se coloca em tal posição, mas a Copa União de 1987 faturada pelos cariocas não é reconhecida pela CBF, que considera o Sport campeão nacional desse ano.

Mais que isso, o clube tricolor nunca havia sido campeão brasileiro com vitória. Em 1977 e 1986, os jogos finais foram decididos nos pênaltis, após igualdades no tempo normal. Nas duas conquistas seguintes, em 1991 e 2006, empates asseguraram mais duas festas tricolores.

Apontado ultimamente como exemplo em organização, o São Paulo, com o penta garantido nesta noite, dá mais um resultado de sua competente estrutura. Afinal, é o primeiro bicampeão desde que o Brasileiro passou a ser disputado por pontos corridos, sistema que privilegia virtudes como regularidade, um elenco e não apenas um time eficiente, e a aposta no trabalho de seu treinador.

Para superar tais escritas e atingir tantas marcas, o São Paulo mostrou a mesma eficiência que o caracterizou durante a competição. Embora o placar do Morumbi marcasse por volta de 27º, a temperatura em campo seguramente foi maior, pelo menos para os anfitriões, abastecidos pela massa tricolor.

Massa que cantou o hino do clube seguidas vezes, que aplaudiu os jogadores mesmo depois de erros e que, é verdade, também se mostrou impaciente com meia hora de jogo, quando o empate sem gols persistia estampado nos placares do Morumbi.

Mas as críticas que, timidamente ameaçavam tomar mais corpo, logo deram lugar ao grito de gol que estava entalado na garganta. Aos 38min, Hernanes, de fora da área, acertou belo chute no canto direito de Sérvulo. Rogério Ceni, ao acertar cobrança de falta no travessão, também levantou os torcedores.

Figurante na festa desta quarta-feira, o América até tentou manchar o cenário tricolor. "Eles ficaram todos atrás da linha da bola, mas nosso time está jogando de forma inteligente, como campeão", avaliou Leandro no intervalo.

A noite, contudo, começou e terminou tricolor. Que o diga Miranda, autor do segundo gol do São Paulo no início do segundo tempo, de cabeça. Dagoberto foi outro que contribuiu, anotando o terceiro, também pelo alto, aos 31min. A torcida ainda comemorou os gols do Flamengo sobre o arqui-rival Corinthians. Enfim, tudo perfeito para o pentacampeão.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Breno (Danilo Silva), André Dias e Miranda; Leandro, Hernanes, Richarlyson, Jorge Wagner e Júnior (Souza); Dagoberto e Aloísio (Borges)
Técnico: Muricy Ramalho

AMÉRICA-RN
Sérvulo; Carlos Eduardo, Rogélio e Robson; Ney Santos, Marquinhos Mossoró, Joellan (Vasconcelos), Tony, Leandro Sena (Washington) e Berg; Geovane
Técnico: Paulo Moroni

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Lourival Dias Filho (BA)
Auxiliares: Luiz Carlos Silva Teixeira (BA) e Ângela Paula Ribeiro (MG)
Público: 69.874
Renda: R$ 1.042.850,00
Gols: Hernanes, aos 38min, do primeiro tempo; Miranda, aos 4min, Dagoberto, 31min, do segundo tempo

Em Helsinki, 1 de Novembro de 2007 – 3h50 da manhã; no Brasil, 31 de Outubro, 23h50.

Posted in Sport | 2 Comments

O décimo dia da viagem: 31 de Outubro

Hoje é um dia de múltiplas celebrações.

Em primeiro lugar, hoje o sol apareceu aqui em Helsinki. Foi a primeira vez, desde que estou aqui.

Em segundo lugar, é o dia da Reforma Protestante. Neste dia, em 1516, Martinho Lutero afixou suas 95 Teses na porta da Catedral de Wittenberg (Vide http://www.iclnet.org/pub/resources/text/wittenberg/luther/ninetyfive.txt).

Em terceiro lugar, hoje é Halloween – Dia das Bruxas. (Vide http://en.wikipedia.org/wiki/Halloween).

E, em quarto lugar, last but not least, hoje é o dia do aniversário do meu amigo Fernando José de Almeida, que esta aqui em Helsinki comigo. Ele celebra seus sessenta e quatro anos — alcançando-me no número de anos.

Meu outro amigo Michael Furdyk, que está sentado aqui do meu lado, acaba de me informar que Suomenlinna, o local do "gala dinner" de ontem à noite, é um "UNESCO World Heritage Center". Depois que ele me disse, fui verificar na Internet e constatei que a informação está lá. Vide http://whc.unesco.org/en/list/583.

O site oficial de Suomenlinna é http://www.suomenlinna.fi/index.php?lang=eng. Há um site com boas fotos de Suomenlinna em http://pictures.traveladventures.org/tags/Suomenlinna.

Para o site dos UNESCO World Heritage Centers, vide http://whc.unesco.org/.

Estou acrescentando Suomenlinna à minha lista dos World Heritage Centers que já visitei, lista que, atualizada, é a seguinte:

[x]  Austria, Historic Centre of the City of Salzburg
[x]  Austria, Historic Centre of Vienna
[x]  Austria, Palace and Gardens of Schönbrunn
[x]  Austria, Wachau Cultural Landscape
[x]  Brazil, Atlantic Forest South-East Reserves
[x]  Brazil, Brasilia
[x]  Brazil, Historic Centre of Salvador de Bahia
[x]  Brazil, Historic Centre of São Luís
[x]  Brazil, Historic Town of Ouro Preto
[x]  Brazil, Pantanal Conservation Area
[x]  Canada, Historic District of Québec
[x]  Chile, Historic Quarter of the Seaport City of Valparaíso
[x]  China, Historic Centre of Macao
[x]  China, Imperial Palaces of the Ming and Qing Dynasties in Beijing and Shenyang
[x]  China, Imperial Tombs of the Ming and Qing Dynasties
[x]  China, The Great Wall
[x]  Cuba, Old Havana and its Fortifications
[x]  Czech Republic, Historic Centre of Český Krumlov
[x]  Czech Republic, Historic Centre of Prague
[x]  Ecuador, City of Quito
[x]  Finland, Suomenlinna, Viapori-Sveaborg in Helsinki
[x]  France, Historic Centre of Avignon
[x]  France, Paris, Banks of the Seine
[x]  France, Strasbourg – Grande île
[x]  Greece, Acropolis, Athens
[x]  Israel, Masada
[x]  Israel, Old City of Jerusalem and its Walls
[x]  Italy, Assisi, the Basilica of San Francesco and Other Franciscan Sites
[x]  Portugal, Cultural Landscape of Sintra
[x]  Portugal, Historic Centre of Évora
[x]  Portugal, Historic Centre of Guimarães
[x]  Portugal, Historic Centre of Oporto
[x]  Portugal, Monastery of Alcobaça
[x]  Portugal, Monastery of Batalha
[x]  Portugal, Monastery of the Hieronymites and Tower of Belém in Lisbon
[x]  Turkey, Historic Areas of Istanbul
[x]  United States, Independence Hall
[x]  United States, La Fortaleza and San Juan Historic Site in Puerto Rico
[x]  United States, Monticello and the University of Virginia in Charlottesville
[x]  United States, Statue of Liberty
[x]  Vatican, Historic Centre of Rome, the Properties of the Holy See in that City Enjoying Extraterritorial Rights and San Paolo Fuori le Mura
[x]  Vatican, Vatican City

Estou no momento assistindo a algumas palestras de grandes empresas sobre suas parcerias com a Microsoft na área da educação. Ford acabou de falar. Na verdade, quem falou foi uma representante do Henry Ford Learning Institute, que eu nem sabia que existia. (Vide http://www.hfli.org/). Vivendo e aprendendo. Agora está falando Houghton Mifflin, a famosa editora. (Vide http://www.hmco.com/indexf.html). Em seguida, Microsoft está falando sobre uma ferramenta que está desenvolvendo, chamada Grava, destinada a ser usada por editoras e autores. (Vide o comunicado disponível no site da empresa no seguinte endereço: http://www.microsoft.com/presspass/press/2007/jan07/01-09MaterialsAssemblyPR.mspx).

À tarde provavelmente vou visitar uma escola. Visitas a algumas escolas estão sendo programadas.

Mais tarde eu volto.

Tarde da noite aqui, mas, no Brasil, ainda antes das 20… O SPFC nem começou a jogar contra o América-RN ainda…

O dia foi normal. Participei de um almoço executivo com Anoop Gupta, Vice-Presidente Corporativo da Microsoft para Produtos e Soluções Educacionais. Depois assisti a mais dois eventos.

À noite fui jantar no Restaurante Bellevue — um belo restaurante russo — em homenagem ao aniversário do Fernando José de Almeida. Além dos brasileiros estavam também os portugueses, capitaneados pela Adelaide (a Ana Ralston de Portugal).

Amanhã é o último dia aqui em Helsinki. À noitinha vamos para Oulu — de trem. O hotel nos deixou ficar com o quarto até às 15h.

Volto amanhã.

Em Helsinki, 31 de Outubro de 2007.

Posted in Travel | 2 Comments

O nono dia da viagem: 30 de Outubro

Hoje o dia começou com a abertura oficial do "School of the Future Summit", cujo tema geral foi "Innovation in the Age of Accountability".

A manhã foi dividida entre quatro keynote speakers:

  • Jan Muhlfeit, Chairman – Microsoft Europe: "School of the Future: Opening Remarks"
  • Bruce Dixson, International Advisory Board – Microsoft’s "Partners in Learning": "A New Age of Education"
  • Eduardo Chaves, International Advisory Board – Microsoft’s "Partners in Learning": "Change, Innovation and Accountability"
  • Sari Sarkomaa, Minister of Education – Finland: "A Glimpse into Finland"

À tarde houve "Breakout Sessions" (Sessões Simultâneas) sobre:

  • "Bulding Systems of Professional and Personal Accountability"
  • "A Look at PISA: Its Purposes and Implications"
  • "The Goals and Effects of ‘No Child Left Behind’"
  • "A Comparison of French and Anglo-Saxon Systems of Accountability"
  • "Can Gaming Teach us About Assessment?"
  • "Teacher Accountability in the e-School of the Future"
  • "Accountability through New Models of Organization in the United Kingdom"
  • "Accountability through New Models of Organization – Sweden’s Perspective"
  • "Adaptive Testing with ICT: Personalized Assessment of Students"
  • "The Effective Use of Technologies in Collaborative Work"
  • "Accountable Investment in ICT for Better Outcomes"

Ao findar do dia houve Discussões em Grupo sobre temas como "Opportunities for Growth and Development" e "The Impact of Policy and Practice".

No final do dia houve um cocktail em que os participantes desse evento ("School of the Future Summit") poderão entrevistar os semi-finalistas do evento anterior ("Innovative Teachers Forum") — antes que eles saiam para o "gala dinner" que revelará os vencedores.

Quando à minha palestra, mencionada atrás, fiz o que pretendia fazer, e, sem falsa modéstia, creio que o fiz bem. Estava tranqüilo, o som estava bom, minha voz não estava rouca, e a audiência ficou atenta o tempo todo (durou 45 minutos, em cima do cronômetro, como estipulado). O que mais se pode esperar?

Depois (tarde da noite) volto para relatar o "gala dinner". Será numa ilha. Há fotos do local (por dentro e por fora) no último album de fotografias disponibilizado.

Acabei de chegar do local do "gala dinner". Local lindo, num forte construído a partir de 1748, numa ilha que tem um farol, a cerca de 15 km do centro de Helsinki. O nome do lugar é Suomenlinna, Viapori-Sveaborg. Comemorou 250 anos em 1998.

A novidade principal é que o projeto brasileiro "Excelections", apresentado pela Kátia Ramos, ganhou o terceiro lugar na categoria "Comunidade". Todos nós brasileiros ficamos muito felizes, a Kátia em especial, pois esforçou-se ao máximo para montar uma apresentação atraente.

Agora vou dormir.

Em Helsinki, 30 de Setembro de 2007

Posted in Travel | Leave a comment

O oitavo dia da viagem: 29 de Outubro

Novamente escrevo um dia depois… Hoje já é o dia 30 de Outubro, terça-feira, são 6 e pouco da manhã aqui em Helsinki (2 e pouco aí no Brasil, porque o horário de verão europeu terminou à zero hora do domingo, dia 28).

Ontem o dia foi novamente corrido, culminando com um delicioso jantar no Sundman’s. Mencionei o restaurante no último artigo.

Antes disso chegaram, ontem, dia 29, segunda-feira,  os últimos brasileiros que estavam sendo esperados: Maria Cláudia da Silva, Diretora da Lumiar da Bela Vista, Daniella Dupont, Diretora da Lumiar do Lageado, Fernando José de Almeida, Vice-Presidente da TV Cultura, Eduardo Morgado, da UNESP, e uma representante da UNDIME. O Fernando e o Eduardo são, como eu, consultores da Microsoft.

Eles se juntam ao pessoal brasileiro que já estava aqui desde o dia 26, sexta-feira: a Mônica Gardelli Franco, o Gustavo Morcelli e a Kátia Ramos — e, naturalmente, a Ana Teresa Ralston. A Mônica, originalmente da PUC-SP, vinha coordenando o trabalho da Microsoft na Lumiar, mas agora foi "roubada" pelo Fernando José de Almeida e irá para a TV Cultura. O Gustavo é da Helix, empresa que (entre outras coisas) está desenvolvendo o Mosaico Digital da Lumiar. E a Kátia é do Instituto Ayrton Senna, que tem sido um grande parceiro da Microsoft na área da educação no Brasil desde 1999. A Ana Teresa Ralston, como é sabido, é responsável pela área da Educação da Microsoft Brasil. Eu, naturalmente, estou aqui desde o dia 24 à noite.

Para esclarecer por que um grupo chegou antes do outro é preciso explicar que há vários eventos acontecendo na Finlândia em seqüência e mesmo ao mesmo tempo.

Do dia 27, sábado, foi aberto, com um cocktail de recepção, o "Innovative Teachers Forum", que se encerra hoje, dia 30, terça-feira, com um "gala dinner". Foi nesse evento que foram apresentados os quatro projetos brasileiros que ganharam o concurso "Professores Inovadores". (Vide, a esse respeito, o material no site da Microsoft Brasil – Educação: http://www.microsoft.com/brasil/educacao/parceiro/vencedores_premio.mspx). Transcrevo também abaixo dois "press releases" (um em Português, o outro em Inglês) sobre o assunto.

Aqui em Helsinki, além dos quatro projetos brasileiros havia um total de 56 outros projetos de outros países. Ontem (29/10) foram anunciados os 24 semi-finalistas, e havia dois projetos brasileiros entre eles: Excelections (apresentado aqui pela Kátia Ramos) e Knowledge Web (apresentado aqui pela Mônica Gardelli Franco). E hoje (30/10), durante o "gala dinner", devem ser anunciados os vencedores, por categoria: Content, Collaboration, Community. Eles foram escolhidos pelos juizes (entre os quais me situo). Além deles haverá "Educator’s Choice", escolhido por todos os professores aqui presentes que apresentaram projetos, em votação direta e universal. Em cada uma das quatro categorias, na verdade, serão escolhidos três projetos, devidamente classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares.

Hoje, dia 30, terça-feira, começa o "School of the Future Summit", que prossegue até o dia 1 de Novembro, quinta-feira. No dia de hoje há sobreposição entre os dois eventos. Este evento abre hoje e eu sou um dos keynote speakers. Darei uma palestra às 9h15 sobre "Change, Innovation and Accountability".

Ontem, durante o dia, culminando com o jantar no Sundman’s, houve também uma reunião do International Advisory Board de Partners in Learning, do qual faço parte desde 2003. Estavam presentes Bruce Dixon, Jenny Lewis, Michael Furdyk e eu próprio (John Bransford, Michael Fullan, Clotilde Fonseca e Alex Rusli não puderam comparecer). Esteve presente no jantar o pessoal da "Corp" (Matriz da Microsoft em Redmond), a saber: Lauren Woodman, coordenadora geral de Partners in Learning, Mischelle Schimmelpfenning, coordenadora operacional de Partners in Learning, Kristen Weatherby, coordenadora do Innovative Schools Program, e David Walddon, coordenador do Innovative Teachers Program. Estiveram presentes no jantar também os "Education Leads" das várias regiões em que a Microsoft divide o mundo: Erik Goldenberg (LatAm), Vincent Quah (APAC), Kirsten Born Rasmussen (Western Europe), e … (Eastern Europe). Estiveram ainda presentes representantes da iniciativa Unlimited Potential da Microsoft: James Utzschneider (General Manager, Marketing and Communication) e … 

No dia 1 de Novembro alguns de nós estaremos indo para um quarto evento, esse em Oulu, cerca de 350 km ao norte de Helsinki. Será o segundo "In Person Meeting" das doze escolas inovadoras escolhidas no início deste ano. A Lumiar é uma delas (vide meus outros blogs: http://escolalumiar.spaces.live.com e http://lumiarschool.spaces.live.com).

Depois disso, de volta ao Brasil.

Acho que é isso, por ora, sobre o dia de ontem.

Em Helsinki, 30 de Novembro de 2007.

—–

Projetos brasileiros participam de etapa mundial do Prêmio Microsoft Educadores Inovadores na Finlândia

Brasil terá quatro finalistas no concurso que irá analisar projetos que utilizam a tecnologia para revolucionar o aprendizado nas escolas

A Microsoft anuncia nesta terça-feira dia 30 de outubro, os nomes dos vencedores da etapa mundial da edição 2007 do Prêmio Microsoft Educadores Inovadores.

O concurso reconhece os melhores projetos educacionais que utilizam a tecnologia para aperfeiçoar o processo de ensino e de aprendizagem desenvolvidos em mais de 50 países, inclusive no Brasil. Os vencedores serão conhecidos em cerimônia que será realizadah em Helsinque, na Finlândia.

Na edição deste ano, o Brasil será representado pelos quatro projetos vencedores da etapa nacional do prêmio da Microsoft, realizada em São Paulo no dia 29 de agosto. A fase brasileira teve quatro categorias: Educador Inovador, Gestão Escolar e Tecnologia, Aprender em Parceria (coaching educacional) e Aluno Monitor, projetos que foram reconhecidos por usar a tecnologia de forma relevante.

Os brasileiros que disputam a fase final do prêmio são: Projeto 1a. Exceleições do Grêmio Estudantil, da Escola Estadual Francisco Ferreira de Freitas de Serra Azul, São Paulo; Projeto Capacitação e uso de tecnologias, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação de Betim, Minas Gerais; Projeto Griot – Contando Histórias, da Fundação Bradesco do Rio de Janeiro e Projeto CriarLaços, da Escola Professor Urbano Gomes Salgueiro, de Pernambuco.

"Queremos reconhecer e estimular o desenvolvimento de práticas educacionais que usem a tecnologia para promover um processo de ensino e de aprendizagem mais efetivo, permitindo a troca de experiências e a valorização das instituições de ensino", afirmou a gerente de Educação da Microsoft Brasil, Ana Teresa Ralston. "É importante reconhecer os educadores que investem em aperfeiçoar suas práticas pedagógicas diariamente", concluiu Ana Ralston.

No ano passado, quando a final aconteceu na Filadélfia, Estados Unidos, o Brasil conquistou a segunda colocação na categoria Inovação em Comunidade, com o projeto "Ler e Escrever? Com o computador". Desenvolvido por educadores da Fundação Bradesco de Osasco (São Paulo), o projeto propôs um método divertido e ao mesmo tempo desafiador de aprendizado, que aumenta a auto-estima e valoriza o aluno a partir de atividades lúdicas.

Em 2006, o Brasil participou do prêmio com quatro projetos, além do "Ler e Escrever? Com o computador". São eles: "Revitalização do Córrego Cipoaba", "TICs Acesso e Qualidade" e "Rompendo Barreiras". Eles concorreram com outros 180 participantes de 35 países. Neste ano, são esperados 200 educadores de mais de 50 países na competição.

—–

http://www.microsoft.com/presspass/press/2007/oct07/10-29ITFSOFPR.mspx?rss_fdn=Press%20Releases 

Microsoft Hosts Educators Worldwide to Discuss 21st Century Learning Challenges

Teachers and education leaders gather to discuss how technology can address educational needs, including building global classrooms.

Network of Web Portals Helps Educators Become Innovators: http://www.microsoft.com/presspass/features/2007/oct07/10-29sotf.mspx

More information about the Innovative Teachers: http://www.microsoft.com/presspass/events/itfsof

HELSINKI, Finland — Oct. 29, 2007 — Nearly 500 teachers, school administrators and education policymakers from more than 50 countries are gathered in Helsinki, Finland, this week for the third-annual worldwide Innovative Teachers Forum (ITF) and School of the Future (SOF) World Summit, two global events hosted by Microsoft Corp. Both events are focused on the future of education and will feature discussions and demonstrations about how technology can help address some of the challenges educators around the world are facing.

The ITF and SOF World Summit are both part of Microsoft Partners in Learning, an initiative to help teachers and administrators give students the skills they need to succeed. Thus far, more than 73 million students and more than 3.6 million teachers in 101 countries have been influenced through Partners in Learning.

To support these efforts, the ITF recognizes and rewards innovative teachers who practice the elements of 21st century learning and incorporate the creative use of technology in their classrooms. The SOF World Summit provides educators and policymakers with a platform to exchange ideas and new approaches to K–12 learning and education reform, and thereby better equip students around the world to become the business and technology leaders of tomorrow.

“Microsoft is committed to providing educators with the tools and support they need because it’s central to our mission of helping people realize their potential, and Partners in Learning is one way we’re delivering on that commitment,” said Ralph Young, vice president of the Worldwide Public Sector at Microsoft. “As educators strive to transform today’s students into tomorrow’s informed global citizens, private industry has a responsibility to provide assistance. The worldwide Innovative Teachers Forum helps celebrate a global community of teachers who are passionate about adopting new learning methods in the classroom.”

Keeping Innovative Teachers Connected

Partners in Learning is grounded in the belief that education is the universal pathway to prosperity and technology is a catalyst for educational reform. With that in mind, Innovative Teachers Forums are held regionally, enabling teachers to meet and collaborate with colleagues from different parts of the world, access breakthrough content developed by their peers, and propel their technology expertise to the next level. Once a year, Microsoft also hosts the worldwide ITF, bringing together the most innovative teachers chosen from the regional events, and giving them a chance to share best practices and showcase the most effective and innovative use of technology in the classroom at an end-of-event awards ceremony.

These forums complement another Partners in Learning program — the Microsoft Innovative Teachers Network — which helps create global classrooms via a virtual community of more than 500,000 teachers from around the world who are connecting and learning from one another.

Building the School of the Future

While the ITF is focused on fostering and recognizing individual excellence in teachers, the SOF World Summit will provide more than 350 education leaders from 50 countries with a platform to exchange ideas and new approaches to K–12 learning at a schoolwide level. Summit attendees will learn from known researchers and practitioners, connect with schools that share common goals, and engage in lively debate about issues related to education and technology in learning.

“The School of the Future World Summit fosters a dynamic setting for educators and policymakers to engage in energizing discussions with their colleagues, and initiates creative thinking about sustainable change in educational systems around the world,” said Bruce Dixon, chairman of the worldwide Partners in Learning Advisory Board and a keynote speaker at the SOF World Summit. “These events in Finland are helping educators around the world collaborate on innovative learning experiences, and incorporate technology into the learning process to address the challenges of the 21st century.”

As part of its overall School of the Future efforts, Microsoft’s Innovative Schools program is helping 12 pilot schools around the world by providing technology expertise and experiential knowledge that any school — or any system — can use to prepare children for success in the 21st century. Representatives from those pilot schools are also in Finland to listen, learn and continue the process of holistic school reform.

More information about the Innovative Teachers Forum Oct. 27–30, the School of the Future World Summit Oct. 30–Nov. 1, the Innovative Teachers Network, the Innovative Schools program and other Partners in Learning programs can be found online at http://.

Founded in 1975, Microsoft (Nasdaq “MSFT”) is the worldwide leader in software, services and solutions that help people and businesses realize their full potential.

Note to editors: If you are interested in viewing additional information on Microsoft, please visit the Microsoft Web page at http://www.microsoft.com/presspass on Microsoft’s corporate information pages. Web links, telephone numbers and titles were correct at time of publication, but may since have changed. For additional assistance, journalists and analysts may contact Microsoft’s Rapid Response Team or other appropriate contacts listed at http://www.microsoft.com/presspass/contactpr.mspx.

Posted in Travel | 2 Comments

O sétimo dia da viagem: 28 de Outubro

Ontem tive um dia cheio — por isso acabei nem tendo tempo para escrever. Nas poucas folgas que tive, fiquei terminando meus slides para a fala de amanhã. Decidi considerá-los concluídos hoje cedo (escrevo dia 29 ao meio-dia, durante o intervalo de almoço).

Ontem houve reuniões o dia inteiro, tivemos, nós, os juizes dos projetos de aprendizagem, de passar em revista os posters elaborados pelos professores, conversar com cada professor (nem sempre o Inglês era muito inteligível), e fazer o que deveria ter sido o julgamento final. (O julgamento preliminar foi feito com base nas informações disponibilizadas pelos seus autores).

Às seis da tarde tivemos o jantar-de-trabalho dos juizes. Apesar de ser jantar de trabalho o ambiente e a comida eram finíssimos: três tipos de vinho, cada um acompanhando uma parte do jantar: entrada, prato principal e sobremesa. O local foi a Brasserie do Wanha Satana Conference Center (onde está se realizando o encontro). Os resultados que havíamos submetido foram tabulados e escolhemos 24 semi-finalistas. Mas recebemos a tarefa de dar mais uma analisada em tudo para escolher os três finalistas em cada uma das três categorias: Conteúdo, Compartilhamento e Comunidade. Acabei de entregar minha sugestão dos três finalistas por categoria. Além dos três vencedores (um por categoria) haverá um vencedor escolhido por votação universal dos participantes no evento.

Antes do almoço houve o "ensaio" dos keynoters. Coloco "ensaio" entre aspas porque apenas instalamos o PowerPoint, colocamos o microfone, testamos o som, etc.

Hoje à noite terei de participar da reunião-jantar do International Advisory Board de Partners in Learning. Será no GW Sundmans – Comptoir Room. É possível ver o site em http://www.royalravintolat.com/en/index.asp.

Agora preciso voltar ao trabalho…

Em Helsinki, 29 de Outubro de 2007

Posted in Travel | Leave a comment